7 dicas para melhorar a gestão no agronegócio

O funcionamento saudável de qualquer negócio está diretamente ligado à forma como ele é administrado – sejam os recursos financeiros, as dificuldades do dia a dia que eventualmente aparecem, ou mesmo o gerenciamento da equipe. No agronegócio isso não poderia ser diferente e os produtores rurais também são peças fundamentais na boa administração da lavoura. Não por acaso, este artigo reforça a sua importância na engrenagem do agronegócio e celebra o Dia do Agricultor, que é comemorado em 28 de julho.

O setor tem ganhado destaque nos últimos tempos e continua em constante ascensão, sendo responsável por impulsionar a economia do país, principalmente com a adoção de novas tecnologias capazes de reduzir os custos e aumentar a produtividade rural.

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em 2020, o PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio brasileiro avançou 24,31%, comparado com 2019, e teve participação de 26,6% no PIB do país – sendo que em 2019, foi de 20,5%. Isso representou, em valores monetários, quase R$ 2 trilhões – o PIB brasileiro totalizou R$ 7,45 trilhões em 2020.

Seguindo a toada de 2020, este ano começou com força total no agronegócio, mesmo que o período ainda seja marcado por incertezas e desafios trazidos pela pandemia. As estimativas de crescimento são de 3% para o PIB do agro e 4,2% no valor bruto da produção, segundo a CNA.

Para que o agronegócio permaneça sendo um sucesso, é necessário trabalhar com foco na produtividade e lucratividade, ao mesmo tempo em que as atividades minimizem os impactos no meio ambiente e transformem positivamente a sociedade ao redor – conforme os três pilares da sustentabilidade, dos quais já falamos por aqui.

Portanto, é necessário adotar práticas e ferramentas para melhorar a gestão do agronegócio e gerar resultados positivos. A importância da gestão é cada vez mais evidente, já que a competitividade cresce na mesma proporção que as oportunidades de mercado. Desenvolver um planejamento estratégico é imprescindível em uma boa gestão comercial. Confira a seguir algumas dicas e características de uma boa gestão.

A importância da gestão do agronegócio

Além de técnicas eficientes nas atividades dentro das fazendas, o sucesso do agronegócio envolve uma boa gestão a fim de utilizar recursos, equipamentos e pessoas da melhor forma possível, promovendo melhor aproveitamento e resultados.

Visão estratégica dos negócios e decisões mais eficientes são duas das características que permeiam a gestão do agronegócio e que ajudam a melhorar o posicionamento de uma empresa no mercado, agregando mais valor ao negócio para manter ou incrementar sua competividade.

É muito importante ainda que a gestão seja feita com base no acompanhamento e monitoramento de alguns indicadores, tais como:

  • Escolha de produtos e fornecedores;
  • Gastos com os insumos e com sua respectiva aplicação;
  • Tempo trabalhado das equipes e dos equipamentos;
  • Referências de produtividade da lavoura;
  • Supervisão de datas e prazos;
  • Planejamento das tarefas a serem desenvolvidas e as demandas a serem atendidas, entre outros.

Só através desse acompanhamento é que é possível compreender os dados do negócio e direcionar as informações para mudar ou aperfeiçoar os resultados. A seguir, você poderá conhecer melhor a importância dessa análise de dados.

7 dicas para melhorar a gestão no agronegócio

É muito comum encontrar produtores rurais que ainda não reconheçam a importância de uma boa gestão no agronegócio e das melhorias que podem trazer para a sua lavoura. Abaixo, elencamos algumas das principais estratégias para uma administração mais eficiente no agronegócio.

1. Planejamento

A primeira etapa para se colocar em prática uma boa gestão no agronegócio é fazer um planejamento aprofundado e de médio ou longo prazo, listando metas e objetivos, com uma visão ampla e sistêmica de como alcançá-los. Nesta etapa, é importante ter claro custos, investimentos necessários e construir um fluxo de caixa, além de estabelecer a meta de lucro esperado no final da safra.

2. Pilares estratégicos

Uma boa gestão no agronegócio passa pela aplicação de alguns pilares estratégicos:

  • Processos estratégicos
    Aqui entram os pontos fracos que as práticas no agronegócio possuem e o que devem ser melhorados. Este pilar se relaciona intimamente com o planejamento da gestão numerado acima, onde é preciso determinar os melhores caminhos para alcançar lucratividade e definir quais serão as ferramentas necessárias para auxiliar na produtividade.
  • Operações táticas
    Nesta etapa, é preciso estabelecer todos os indicadores e processos padrões que devem ser feitos e monitorados no dia a dia na produção. Tudo precisa ser registrado, assim como em qualquer empresa, e o desenvolvimento de relatórios completos é muito importante para auxiliar na gestão do agronegócio. Ter um caderno de registro da sua lavoura onde você construa o histórico de insumos utilizados, resultados obtidos e performance da lavoura safra a safra é fundamental para guiar as decisões de safras futuras. Não confie na memória, tenha tudo registrado.
  • Práticas operacionais
    O gestor deve mapear as dificuldades e os processos a serem implantados no dia a dia da produção, montando um cronograma de atividades para que as metas determinadas sejam alcançadas. Investir em maquinário, treinamento e utilizar insumos que contribuam para uma prática mais eficiente auxiliam, e muito, a tornar seu negócio mais rentável.

3. Ferramentas de gestão

Já falamos aqui no blog da Indigo que a tecnologia está cada vez mais presente no agronegócio, proporcionando melhorias e facilidades. Com a gestão, não poderia ser diferente, já que atualmente existem diversas ferramentas que contribuem no aumento da produtividade, automação de processos e otimização de tarefas, simplificando trabalhos que antes eram complexos.


O valor da aquisição e implementação de softwares, como o ERP, é visto por muitos produtores como custoso, quando, de fato, deve ser encarado como um investimento, que a longo prazo gera excelentes resultados. Com o uso da tecnologia no agronegócio, pode-se analisar os principais indicadores de produtividade, além de obter dados e informações sobre o que pode ser melhorado, como a eficiência e utilização de mão de obra e de mecanização, além das taxas de uso do campo e da gestão de atividades externas e equipamentos.


Um ponto importante é que existem hoje no mercado diversos aplicativos, muitos inclusive gratuitos, que permitem ao produtor gerar histórico da sua produção, auxiliar no planejamento e na compra de insumos. Este pode ser o primeiro passo no processo de digitalização e melhoria de gestão, antes de um passo maior para sistemas mais robustos, que requerem um maior investimento, não só de aquisição como de implementação.


Um programa com uma solução completa para o agronegócio, que contribua na automação dos processos, é capaz de reduzir o tempo de trabalho e mitigar as possibilidades de que haja falha humana, por exemplo, já que tudo é programado e organizado.

4. Metodologias

Após a definição de uma metodologia que atenda às necessidades do negócio, é possível ainda controlar recursos e tempo de uma forma melhor, já que existe consistência nos métodos e técnicas aplicados. Procedimentos padrões permitem identificar erros e evitar que sejam replicados, produzindo os resultados desejados.

5. Dados atualizados e monitorados

Mais uma tarefa obrigatória na gestão do agronegócio é o acompanhamento dos dados da produção. O produtor rural precisa ter acesso a informações precisas para conhecer com exatidão a situação de seu negócio e, desta forma, implementar estratégias que impulsionem a capacidade de controle da atividade rural.

O correto monitoramento permite ao gestor ter acesso a diversos indicadores como, por exemplo:

  • Comparação com anos anteriores para estimar um potencial de produção;
  • Rendimento da produção por hectare/planta;
  • Dados como lucro e produtividade nas safras;
  • Controle de custos, aproveitando oportunidades que geram melhorias de processo, maior lucratividade e, consequentemente, sucesso no negócio.

6. Treinamentos

Muitas práticas de gestão no agronegócio deixam de ser implantadas ou aplicadas de forma eficiente quando existe falta de treinamento ou comprometimento com os objetivos no negócio por parte dos colaboradores.


Por isso, é tão importante investir na capacitação dos funcionários e do próprio produtor rural, a fim de tornar seu negócio mais rentável e aumentar a produtividade, além de evitar gastos com retrabalho e desperdício recursos.

7. Avaliação de resultados

Sem uma mensuração dos resultados obtidos, é impossível saber se está havendo um crescimento no negócio ou, ainda, qual a proporção desse sucesso. É preciso avaliar alguns dos fatores citados anteriormente, como a eficácia das metodologias utilizadas ou a quantificação dos resultados obtidos com o uso de softwares ou aplicativos de gestão. Só então é possível compreender o que está dando certo e funcionando e o que deve ser modificado. Por isso, é importante que o produtor rural faça avaliações constantes para medir os resultados de sua gestão.

A Indigo aposta na inovação no agronegócio

É fato que uma boa gestão do agronegócio é prática fundamental para o bom andamento da empresa, proporcionando o crescimento mais sustentável do negócio e melhorando sua performance.


Sempre apostando no uso de novas tecnologias e em inovação sustentável, a Indigo larga na frente quando o assunto é melhorar a eficiência e ajudar a gestão no agronegócio.


O Google do Agro


Para explicar o motivo pela qual a Indigo foi eleita a startup mais inovadora do mundo em 2019, basta lembrar que a startup emprega diversas tecnologias, como inteligência artificial, big data, geolocalização, algoritmos, seleção genética, monitoramento de imagens via satélite para a análise das lavouras e utiliza no desenvolvimento de soluções para o produtor rural.


Por ser uma empresa focada em tecnologias capazes de detectar, processar e gerar insights a partir de dados oriundos de todas as etapas do processo produtivo, do planejamento de plantio à comercialização dos grãos, a Indigo foi apelidada como a ‘Google do Agro’.


Uso de biológicos


Melhorar a gestão no agronegócio é trabalhar nos primeiros passos dentro da fazenda, para colher lá na frente os melhores resultados. Nisso, tem papel importante os biológicos, que permitem uma maior eficiência no uso de insumos, acelerando e simplificando o passo a passo dentro da lavoura.


O futuro passa pela inovação


Conheça algumas das ferramentas Indigo que podem contribuir no controle da gestão das atividades agrícolas e fazem sucesso lá fora:

  • Indigo Marketplace
    Através de uma plataforma digital, é possível ampliar os negócios com toda a cadeia do agronegócio, conectando digitalmente de forma segura compradores e vendedores, fortalecendo relações e proporcionando maior rentabilidade e transparência para todos os participantes da cadeia do agronegócio.
  • Indigo Transporte
    Conecta produtores, caminhoneiros, transportadoras e operadores logísticos, permitindo o transporte de grãos de maneira mais eficiente e criando novas possibilidades de conexões.
  • Indigo Carbono
    É um programa que possibilita aos agricultores serem reconhecidos e recompensados por suas práticas voltadas à sustentabilidade econômica/ ambiental e que resultem na geração de créditos de Carbono. Através de uma plataforma que gera transparência e visibilidade, compradores de Crédito destinam recursos para o incentivo na adoção de novas práticas de produção mais sustentável dentro da fazenda.
  • Indigo Atlas Insights
    Com o uso de inteligência geoespacial, possibilita uma visão em tempo real da cadeia agrícola mundial de grãos, oferecendo insights para seus diferentes agentes.

Queremos finalizar este artigo parabenizando todos os agricultores de nosso país e do mundo, responsáveis por tanto empenho e dedicação em suas lavouras diariamente, fazendo chegar até nós alimentos ricos em valor nutricional e que cuidam tão bem de nosso planeta.

 

Clique aqui para receber nossos conteúdos